Create ad!
Access personal area List of Properties

Date: 20/7/2019
Frequence: Daily
Editions: Free

News Search

Search

23 July 2018

Saiba como usar a sua casa para alojamento local

alojamento local

O que é preciso para ter um alojamento local?

“Tem uma segunda casa, bem situada, e não sabe o que lhe fazer? O alojamento local pode ser a resposta”, explica a Deco. As plataformas online tiraram lugar a anúncios mais tradicionais e o alojamento local está a ganhar espaço face aos hotéis. O primeiro passo é o registo: quem quiser entrar neste negócio deve aceder ao site do Balcão Único Eletrónico e fazer uma comunicação prévia.

A comunicação é acompanhada de uma declaração de início de atividade de prestação de serviços de alojamento na Autoridade Tributária (AT). O registo é obrigatório e uma casa publicidade numa plataforma de alojamento (como a Airbnb) tem de estar identificada com um número de registo.

Quantas pessoas se podem receber?

Apesar de ser muitas vezes usado como um negócio paralelo a uma outra atividade profissional que já se tem, há regras a cumprir. A Deco avisa que é preciso ter em conta as limitações desta forma de alojamento. “Não podemos, simplesmente, receber um batalhão de gente em casa. No caso de moradias ou apartamentos, não é possível ir além dos nove quartos e 30 utentes, sob pena de pagar uma coima até 3.740,98 euros e, conforme a gravidade, a atividade ser suspensa”, explica.

Quais são as obrigações legais e tributárias?

Além do número de pessoas que se pode receber, há outras questões legais a ter em conta. É necessário ter livro de reclamações e também certificação energética (obrigatória se a propriedade se reportar a edifícios ou frações autónomas abrangidas por este sistema de certificação). Se for apanhado a publicitar antes do registo, a coima varia entre os 2.500 e os 3.740,98 euros.

Há ainda os impostos a pagar. Abrir atividade nas Finanças é obrigatório antes de começar. Quando o negócio já arrancou, e se o proprietário tiver rendimentos anuais inferiores a 200 mil euros pode escolher o regime simplificado (que paga uma taxa de imposto de 35% sobre os rendimentos) ou a contabilidade organizada. Se esses rendimentos forem superiores, é obrigatória a contabilidade organizada.

Onde encontro clientes?

O local mais comum (e mais popular) ultimamente são as plataformas online, como a Airbnb ou a Homeaway. A Deco alerta que estes sites divulgam as propriedades, “mas não têm responsabilidade quanto à relação contratual estabelecida entre as partes (proprietário e locatário)”. Podem ajudar a facilitar a resolução de litígios, mas não controlam a qualidade ou a segurança dos anúncios.

E se acontecer alguma coisa à casa?

Há plataformas que permitem a celebração de contratos de seguro em caso de danos causados por alguma das partes do contrato. O conselho da Deco é que o proprietário leia atentamente os termos e condições das plataformas.

“E se o conflito entre a plataforma e o proprietário chegar a vias de facto, ou seja, a tribunal? Estamos a falar de entidades que não têm sede em Portugal. Por isso, em caso de problemas, os tribunais competentes são, regra geral, estrangeiros. Os termos e condições da Rentalia, por exemplo, impõem que as partes se submetam à jurisdição dos tribunais de Madrid”, acrescenta a associação.

Comment

Submit

The comments are always subject to previous approval. Comments that are offensive, defamatory, slanderous, discriminatory, and inadequate to the text that is being commented on, will not be placed online.