Create ad!
Access personal area List of Properties

Date: 19/1/2020
Frequence: Daily
Editions: Free

News Search

Search

25 July 2012

De volta ao nordeste brasileiro; Fortaleza mais uma cidade em grande desenvolvimento!

Jorge Garcia, Especialista em Imobiliário

Fortaleza, capital brasileira mais próxima da Europa e uma das doze sedes da Copa do Brasil em 2014, irá acolher a 5ª edição do Corretor Global, evento de que irei participar.

A cidade com maior crescimento populacional do Brasil contando hoje com 2.452.185 habitantes (censos 2010 IBGE), acaba de inaugurar o primeiro trecho da linha sul do metrô, que liga o centro da cidade a municípios da região metropolitana.

De acordo com os principais operadores do mercado imobiliário da capital cearense, os preços manter-se-ão estáveis ao longo deste ano, já que a oferta se manterá nos níveis atuais e o mercado irá absorvendo os projetos em execução. O aumento da oferta de financiamento particularmente neste Estado, tem contribuído decisivamente para a dinamização do mercado de compra e venda de imóveis, novos e usados.

Se por toda a cidade vão surgindo novos edifícios residenciais de arquitetura moderna, as periferias com a melhoria das acessibilidades começam a ganhar atratividade. Há sensivelmente uma década, tive oportunidade de acompanhar o lançamento de um condomínio situado em Porto das Dunas, o “Portugal Village”, promovido e construído por um empresário português e direcionado para pequenos investidores.

Este projeto viria a ser um sucesso de vendas, sendo que a larga maioria dos apartamentos foi comercializada em Portugal. Hoje, Porto das Dunas, Aquiraz e Tapera, são algumas das zonas que visitei, com maior potencial de expansão da malha urbana de Fortaleza, acolhendo vários projetos de condomínio para diferentes segmentos de mercado, incluindo projetos com cabimento no programa “ Minha casa, Minha Vida”.

Também fora da área imobiliária, empreendedores portugueses e brasileiros contribuem decisivamente para o sucesso de expansão da rede de franquia de estética “Não + Pêlo”. Em pouco mais de dois anos a operar no Brasil, conta já com mais de 330 unidades em todo o território nacional. Em Fortaleza no nordeste como já havia acontecido em Florianópolis no sul, encontro excelentes oportunidades para empresários, investidores e quadros técnicos portugueses, mas sobretudo um clima de confiança, catalisador e facilitador de negócios.
As principais fontes do mercado imobiliário continuam a apontar para uma estabilização do setor, já que no seu entender, chegou a hora de um maior ajustamento entre oferta e procura (demanda).

No mercado de S. Paulo que serve de barómetro para a atividade do setor, depois da euforia verificada em 2008 e 2009 sustentada por uma crescente procura de produto imobiliário por parte de investidores (30 a 40% do total de compradores) os preços tendem a estabilizar e mesmo nalguns casos a decrescer ligeiramente. Também a variação do índice Fipe Zap de preços de imóveis anunciados, indicador de preços de imóveis promovido em parceria pela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e o Zap imóveis (portal de classificados de imóveis) vai no sentido de uma maior estabilização dos preços praticados de mercado.

Para além de ser uma boa notícia para os consumidores finais que haviam perdido poder aquisitivo face à subida de preços verificada nos últimos 3 anos, vem diminuir o risco de um mercado híper-aquecido poder criar uma “bolha imobiliária”. É nesta conjuntura de maior maturidade do mercado imobiliário que vai requerer uma maior profissionalização dos seus operadores que a Coldwell Banker uma das maiores franquias imobiliárias do Mundo, irá formalizar o início das suas operações no Brasil realizando nos dias 30 e 31 deste mês, dois eventos de lançamento em S. Paulo e Rio de Janeiro.

Más notícias continuam a chegar do outro lado do oceano, agora o descalabro da banca espanhola e a apreensão com o efeito contágio que poderá provocar. Concordo com a maioria dos comentários publicados na comunicação social; esta é uma vergonha de regime. Promiscuidade e cumplicidade público – privada, perpetuaram a mentira. Também neste caso, se transformaram prejuízos reais em lucros virtuais, falseando balanços e resultados.

Um pouco por toda a parte continua-se a mentir compulsiva e impunemente. Tanto se comentou a mentira nas contas públicas gregas, as mentiras que levaram à nacionalização dos prejuízos da banca irlandesa, a negação da inevitabilidade do pedido de ajuda externa de Portugal.

Mas e agora, quem vai pagar pela mentira dos balanços das “Cajas de Ahorro” espanholas? Também neste caso serão os contribuintes europeus a pagar a fatura, pelas tropelias cometidas por alguns delinquentes. Até quando?

Source: Jorge Garcia, Especialista em Imobiliário

Comment

Submit

The comments are always subject to previous approval. Comments that are offensive, defamatory, slanderous, discriminatory, and inadequate to the text that is being commented on, will not be placed online.