Create ad!
Access personal area List of Properties

Date: 17/9/2019
Frequence: Daily
Editions: Free

News Search

Search

24 November 2014

Enquanto por aqui “tudo como dantes”, os “golden visa” salvaram o ano em Portugal!

Jorge Garcia, Especialista em Imobiliário

Foi com esta frase “ _ Está tudo como dantes no quartel de Abrantes” que Boris Casoy um dos ícones do jornalismo rádio – televisivo brasileiro abriu há dias o “Jornal da Noite”. E na verdade, esta expressão dos tempos da invasão napoleónica da península ibérica, caracteriza os níveis de confiança dos consumidores, empresários e investidores nacionais no atual momento da economia brasileira e o ambiente macroeconómico que hoje se vive no Brasil; taxa de inflação próxima dos 6,5%, crescimento do PIB inferior a 1% e taxa de juros de referência superiores a 11%.

No Brasil terminamos 2014 com crescimento econômico quase nulo, inflação preocupante, juros elevados e um baixo nível de confiança dos agentes econômicos quanto a uma mudança da atual conjuntura econômica. Se nem mesmo os rumores de bolha imobiliária afastaram os investidores, o cenário macro – económico tem adiado algumas decisões de investimento.
Apesar dessas condicionantes, o mercado imobiliário retomou o sentido do crescimento neste último trimestre e na medida da sua maior estabilização e de alguns ajustamentos, por via de descontos ou condições especiais de pagamento para esgotamento de estoques mais antigos, vem afastando os investimentos especulativos de curto prazo. Boa notícia para os compradores de imóveis de casa própria e investidores imobiliários de longo prazo. Aqui no Ceará, na R.M.F. (Região Metropolitana de Fortaleza), interior do Estado e municípios limítrofes do C.I.P.P. (Complexo industrial e Portuário do Pecém) o mercado imobiliário mantem-se particularmente ativo. Se no interior e em municípios como Caucaia, S. Gonçalo do Amarante e Paracuru (litoral oeste) se trata de ajustar a oferta ao grande crescimento da demanda em todos os segmentos de mercado, na RMF para além dos lançamentos de novas unidades residenciais (apartamentos) nos bairros nobres da capital, neste “finalzinho” de ano o mercado imobiliário se agita com o lançamento junto do grande público, de dois empreendimentos imobiliários integrados em novas áreas de desenvolvimento urbano no litoral leste.

No novo núcleo urbano Alphaville Ceará com cerca de 1800 hectares localizado no Eusébio, depois das duas primeiras etapas lançadas em finais de 2013 surge agora a terceira etapa “Terras de Alphaville”. O segundo grande empreendimento, “Celebration Ville” com cerca de 273 hectares está localizado em Aquiraz. Tendência dos novos tempos; a dimensão dos lotes padrão (250 m2) destes dois novos empreendimentos é inferior à de produtos imobiliários similares direcionados para a classe média – alta e lançados em anos anteriores. Uma outra tendência de mercado revelada é a evolução do conceito de loteadores para a de desenvolvedores urbanos.
Mais do que entidades que fazem o levantamento topográfico de terreno e a aprovação das licenças para o loteamento, são equipes multidisciplinares que identificam terrenos com potencial comercial, fazem o parcelamento do solo, urbanismo e a aprovação ambiental para criar bairros planejados. “Branding”, estratégia integrada de Comunicação e sustentabilidade ambiental, também são práticas que vão sendo implementadas e transversais aos diferentes segmentos do mercado imobiliário. Só através de uma marca agregamos valor a um produto imobiliário e através de uma estratégia integrada de Comunicação este é percepcionado pelos seus potenciais clientes. Hoje já não se vendem pedaços de terra por mais bem localizados, vende-se bem – estar e projeções de vida a sós ou em família num espaço e ambiente único e exclusivo. Também a sustentabilidade ambiental é uma condição de implementação de um projeto imobiliário que deve ir além das imposições e regulamentações legais.

O melhor aproveitamento da água, o menor consumo de energia elétrica e de materiais, são preocupações dos desenvolvedores e partilhadas pelos clientes. A minimização do impacto ambiental e o aumento da capacitação profissional, empregabilidade e geração de renda das comunidades do entorno do empreendimento é também um dos fatores críticos de sucesso do “branding” e da Comunicação dos produtos imobiliários.

Por último um comentário a certas vozes que no seguimento de presumível tráfico de influências e corrupção relacionado com a atribuição dos “golden visa” em Portugal, clamam pelo cancelamento desta medida. Não sabem do que estão a falar e não podem estar mais errados. As operações imobiliárias de compra relacionadas com os “golden visa” contribuíram para um crescimento superior a 50% da atividade de corretagem (mediação) imobiliária em Portugal. Saibam essas” vozes” que a larguíssima maioria dos que receberam comissões de corretagem pela sua intervenção nessas operações, são micro – empresários que nos últimos anos tiveram de criar o seu emprego. Que a reabilitação urbana beneficiou dessas operações de investimento imobiliário, gerando trabalho e renda para muitos desempregados de longa duração do setor da construção civil e obras públicas. Que a propriedade de um imóvel está sujeita a impostos, gerando assim mais receita fiscal para o País. Que até Outubro deste ano no âmbito deste programa, o investimento estrangeiro aplicado na aquisição de imóveis ascendia a 770 milhões de euros.

Desde 2013 que a península ibérica merece monitoramento especial por parte de investidores internacionais em imobiliário e em 2014 cresceu a demanda por produtos imobiliários portugueses em sites imobiliários de referência como o overseasguidescompany.com e o themovechannel.com. Existindo indícios de irregularidades, investigue-se, julgue-se e caso disso que sejam punidos os responsáveis. E ainda acrescento, que o exercício ilícito da atividade de corretagem imobiliária por intermediários não credenciados deveria também ser investigado pelas autoridades. Mas não digam disparates.

Source: Jorge Garcia, Especialista em Imobiliário

Comment

Submit

The comments are always subject to previous approval. Comments that are offensive, defamatory, slanderous, discriminatory, and inadequate to the text that is being commented on, will not be placed online.